InteRural Berrante Comunicação




Capa - Milheto


ADR’s e Sementes Adriana – um compromisso com a agricultura

Nos anos 90, com a ocupação de todas as áreas com solos argilosos, surgiu a necessidade de melhorar outras áreas, para viabilizar o plantio de soja que se encontrava em constante crescimento, em todo país. Foi então que a Sementes Adriana, que já produzia sementes de soja, viu na planta de milheto uma oportunidade de melhorar a condição dos solos arenosos e mistos. No entanto, as variedades existentes estavam definhadas. Em parceria com a Bonamigo Melhoramentos, a empresa começou um trabalho de pesquisa que possibilitasse a evolução do milheto e o tornasse uma opção de cultura e preparo do solo. Em 2003, foi lançada a variedade ADR-300, que, dentre outros objetivos, nasceu para a produção de palhada e tratamento do solo, com vistas ao plantio direto.
O ADR-300, conhecido como SuperMassa, possui diversas características importantes, que agregam valor e enriquecem a cultura subseqüente. Ele é um excelente descompactador de solos, pois seu sistema radicular profundo permite que as raízes formem canalículos e penetrem a terra, quebrando a resistência dos solos compactados. Além disso, por sua profundidade, as raízes dessa planta recolhem nutrientes dispersos no solo, absorvem-os e os levam até a palha, beneficiando, significativamente, o plantio seguinte. Por ser uma planta rústica, é tolerante aos períodos de seca, por isso, é indicado para a safrinha. Mas, a sua principal característica é a redução natural dos nematoides, que atacam as culturas de soja e algodão. Pesquisas já comprovaram a eficiência do SuperMassa no combate aos nematoides de galha (Meloidogyne incógnita e Meloidogyne javanica), Pratylenchus brachyurus e Rotylenchulus reniformis. Somando todas as características, o ADR-300 SuperMassa traz economia ao produtor rural e melhora os índices de produtividade. “Na safrinha, utilizei sorgo e SuperMassa para avaliar a produtividade na soja. A lavoura de sorgo foi adubada com 400 kg de adubo/ha e na lavoura de ADR-300 não utilizei adubo. Avançando no teste, fiz o plantio da soja na palhada do sorgo e na palhada do ADR-300, colhi 2,50 sc/ha a mais na palhada do SuperMassa, mesmo colocando 400 kg de adubo no pé do sorgo. Depois disso, não plantei mais sorgo”, declarou o produtor Vanildo João Pedrin, de Ivolândia (GO).
 
 Logo foi lançado também o SuperMassa ADR-500, voltado para a nutrição animal. Cultivado, especialmente, no sul do país, é recomendado para o verão, como forrageira na pecuária de leite ou de corte, ovinos, caprinos e equinos, tanto no pastejo direto, em sistema rotacionado, quanto capineira, com corte mecanizado ou manual. É uma planta anual, de rápido crescimento, em diferentes tipos de solo e sob baixas condições de umidade. Pesquisas comprovam sua eficiência na alimentação animal, pois o alto teor de proteína bruta garante sua qualidade nutricional. Na época, recomendada para pastejo, o teor de proteína bruta chega a 19%, proporcionando excelente relação custo/benefício. No caso de vacas em lactação os teores de cálcio presentes do SuperMassa permitem maior produção de leite, uma vez que o cálcio é uma substância essencial para vacas, nesse período. Os altos índices de produtividade proporcionam pasto de qualidade com grande quantidade de massa verde, resultando em animais bem nutridos, mais leite e maior rentabilidade ao produtor. Além disso, o ADR-500 reúne as características do ADR-300, como resistência à seca e reciclagem de nutriente. O manejo facilitado e o custo para a implantação do pasto com SuperMassa, trazem retorno econômico e lucratividade. “A produção de forragem permite alcançar até 83 toneladas de matéria verde, por hectare e 13,33 toneladas de matéria seca, no verão, somando quatro cortes. Em um sistema a pasto, com suplementação, um custo de alimentação inferior a R$ 0,21 por litro, observado nessa variedade, significa um custo operacional inferior a R$ 0,39, sendo que a alimentação representa de 40 a 68% do custo operacional, isso se traduz em rentabilidade”, disse o pesquisador Dr. Wagner Beskow, da CCGL/Fundacep, Cruz Alto (RS). A tabela, a seguir, demonstra o custo para alimentação e o retorno em litros de leite.
 
Em 2007, mais uma inovação: o primeiro híbrido de milheto do Brasil, o ADR-7010, SuperGrão, que além de reunir as características importantes das variedades ADR 300 e 500, conquistou o mercado de grãos por causa dos altos níveis de produtividade. Recomendado para a safrinha, tem alcançado índices excelentes na região Centro-oeste, onde produtores chegam a colher 36 sacos por hectare. Com mercado comercial em crescimento constante, o SuperGrão tem tido destaque na indústria de ração. Mas, a diversidade de propósitos que essa cultivar possibilita faz com que haja várias alternativas no mercado comercial. A utilização do SuperGrão na alimentação de frangos de corte e galinhas poedeiras foi observada, numa pesquisa realizada pelo Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), e os resultados foram surpreendentes. Outra forma de utilização do grão, pouco divulgada no Brasil, é a alimentação humana. O milheto é uma planta rica em Ômega 3, substância importante na prevenção e combate à doenças cardíacas e diabetes, auxilia no tratamento do câncer e potencializa as atividades cerebrais. A farinha de milheto pode ser usada na panificação, e por não conter glúten, oferece alimentos nutritivos e saudáveis. “O grão não possui nenhum fator antinutricional, sendo uma cultura de pequena necessidade de insumos e que produz bem, mesmo em regiões de clima com má distribuição de chuvas, sendo considerada uma cultura moderna, de alta eficiência, por produzir grão e renda em condições de pouca água e menor fertilidade”, explica o pesquisador e melhorista, Luiz Bonamigo.
Em Minas Gerais, o cultivo dos ADR’s também alcança resultados excelentes, especialmente no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Chapada Gaúcha e norte do Estado.
Produtores de leite conseguiram aumentar a produção em 15% apenas trocando a alimentação do gado, de silagem de sorgo para ADR-500. De acordo com o representante da Sementes Adriana, Wellington Oliveira, o crescimento rápido desta variedade agiliza o processo nutritivo, pois em 30 dias é possível alcançar o ponto de pastejo, enquanto que, com capim, é preciso esperar de 70 a 80 dias para colocar o gado. Na capineira, produtores obtiveram 52 toneladas de massa por hectare, em dois cortes.
No norte de Minas, os produtores também estão satisfeitos com os resultados do ADR 7010 para silagem. A safrinha, plantada em 1 de março e colhida em 10 de julho, produziu 25 toneladas por hectare. Isso, porque esta cultivar se adapta bem às regiões de pouca chuva, como é o norte do Estado. Oliveira explica que, os ADR’s chegaram em Minas há cinco anos, época em que eram comercializadas apenas 50 toneladas de sementes, mas os resultados foram tão bons que, atualmente, são distribuídas 300 toneladas, e a expectativa é de que esse número aumente para 500 t, em 2010.
Com todos esses benefícios comprovados por pesquisadores em diversas regiões do país, o cultivo dos ADR’s vem ganhando mais espaço, a cada ano e tornou-se uma ótima alternativa para safrinha, para o plantio direto e para pastagem. “Com o desenvolvimento dos ADR’s, nós, que já produzíamos sementes de soja, buscamos levar ao produtor algo muito além da semente. Técnicas de tratamento de solo, semente peletizada, para facilitar o plantio, Índice de Plantio Atualizado (IPA), tratamento Escud e outras inovações fazem parte do nosso pacote de serviços, com o intuito de contribuir com a agricultura brasileira, de forma que o produtor possa ter segurança e produtividade em todos os processos de produção. Por isso, a Sementes Adriana está focada em desenvolver e levar tecnologia ao campo, investindo em pesquisa e melhoramento, para que a toda a cadeia produtiva obtenha sucesso”, concluiu o engenheiro agrônomo Odílio Balbinotti Filho, presidente da Sementes Adriana.
Empresa
A Sementes Adriana chegou ao Mato Grosso, na década de 1980. Instalou-se na Serra da Petrovina, município de Alto Garças. Foi fundada pela família Balbinotti, que tem sua origem no Rio Grande do Sul. A empresa começou pequena, mas, hoje, prestes ao completar 30 anos, abastece, com sementes de soja e milheto, aproximadamente, 1 milhão de hectares cultivados nos estados de Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins e Bahia. É considerada a maior produtora individual de sementes, no Brasil, produzindo, em média, 45 mil toneladas de sementes de soja por safra. Todos os lotes de sementes são rastreados por um processo que permite registrar, detalhadamente, todos os passos, desde a produção até a chegada na fazenda do produtor. Na Fazenda Adriana existe um dos mais modernos laboratórios da América Latina, onde é analisada, testada e comprovada a eficiência de todas as cultivares, tanto de milheto quanto de soja. Este laboratório é considerado o centro da produção, que proporciona a segurança e a agilidade necessárias na agricultura empresarial moderna. “Sabemos do compromisso que temos com a agricultura, por isso, fazemos questão de investir em pesquisa e tecnologia”, reforça Balbinotti.
Para compartilhar os bons resultados, a Sementes Adriana realiza vários eventos em todo país, a exemplo do 2º Encontro Técnico de ADR’s que acontecerá em Uberlândia, no dia 4 de novembro, com a presença de pesquisadores, doutores no assunto e produtores da região. “O Encontro acontece para que possamos ter um contato mais direto com o produtor, expor as vantagens dessas cultivares, trocar ideias e prestar assistência técnica, além de ouvir sugestões e necessidades, é o nosso momento”, explica Oliveira, representante Sementes Adriana.

Encontro Tecnológico
Outra demonstração de todo o investimento feito pela Sementes Adriana será apresentada em abril de 2010, quando, para comemorar os 30 anos da empresa, será realizado o 2º Encontro Tecnológico, com o tema “Agricultura no Cerrado – Desafios e Soluções”. Na ocasião, pesquisadores, engenheiros agrônomos e técnicos estarão à disposição de agricultores, estudantes e demais profissionais da área para discutir assuntos como Sistema de diagnósticos - a produtividade escondida nos detalhes, Qualidade muito além da semente, Gestão Socioambiental, Nematoides - enfrentando a praga da década, O futuro da pesquisa: novos híbridos ADR, Implantação das cultivares ADR, Reciclagem de nutrientes e descompactação de solo por meio das cultivares ADR; Manejo e colheita na cultura do milheto, O grão de milheto e suas aplicações na alimentação humana e animal, e Pesquisas Científicas.
Na primeira edição, em 2005, o Encontro Tecnológico reuniu mais de 2.500 pessoas, marca que deve ser superada no próximo ano. Para receber os visitantes uma superestrutura será montada, de forma que todos possam conhecer de perto o que é desenvolvido pela Sementes Adriana. A grande novidade será o lançamento dos novos híbridos de milheto ADR 7020 e ADR 8010. O evento acontecerá no dia 24 de abril de 2010, a partir das 7h30, horário de Mato Grosso, na Fazenda Adriana.

Com apenas 270mm de chuva, consegui dois cortes de 50 toneladas em 1 hectare. E, ainda, uma rebrota para silagem com 50mm de chuva. É a nossa salvação.
Marcionilo Cardoso Filho
Fazenda Radial
Gameleira (MG)

 

Há três anos planto 200 hectares de milheto na safrinha. Desde que iniciei com a cultura venho percebendo apenas benefícios, como o melhoramento do solo, é uma cultura que necessita de bem menos água, além de ser uma ótima massa para cobertura do plantio direto. Já na colheita, em relação à soja e ao milho, os custos ficam bem menores. Estou muito satisfeito.
Gilvan Sorna
Fazenda Miralandia
Uberlândia (MG)

Desde 2005, desenvolvemos um projeto de transferência de tecnologias, na região Norte de Minas Gerais, visando buscar alternativas de produção agropecuária para o agricultor daquela região, que sejam sustentáveis do ponto de vista econômico e ambiental, em que os riscos de frustração de safra, em função de déficit hídrico, comum naquela região, sejam menores.
Sob este aspecto, o milheto vem se apresentando como excelente alternativa na produção de forragem para alimentação do rebanho, nos períodos mais secos do ano, em função de sua rusticidade e capacidade de produção de massa, mesmo em condições de déficit hídrico.
Marco Aurélio Noce
Embrapa Milho e Sorgo



 





E ai, o que achou dessa matéria? Deixe aqui seus comentários:





Últimos comentários:
horst fenner - fenner comercial agricola ltda | 15/09/2011 11:09

preciso comprar semente de milheto adr 300 para plantio na fazenda no MA pode ser em begue preço e germinaçao

Bruno Boareto - Fazenda Santa Maria | 24/08/2011 13:39

Oi, tudo bem? Sou acadêmico de Agronomia... Tive uma palestra sobre nematoides, no qual folou tambem do uso das variedades ADR 300, 500 e ADR 7010, também falando da ficsaçào de nutrientes, matéria orgânica ,enraizamento etc... Resumindo gostei conversei até com um prof. sobre o assunto e gostaria de testar éla talvez fazer até alguns trabalhos ensima dessas variedades... Sou aqui do parana Campina da Lagoa, estudo em Cascavel na Fag, gostaria de saber como consigo semente e que época posso plantar e um imail para contato? Aguardo respostas... (44)9951-7209

Danilo Marques Higino - Univercidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT | 22/05/2011 19:58

Muito bom os resultados que a sementes Adriana veem realizando em nosso estado e em outros que também usufruí dos benefícios , gostei, continue no foco.

Marcos Paixão - Fertiliza nutrição vegetal | 02/11/2010 14:42

Gostaria de saber o Nº de telefone ou email do representante do triangulo mineiro (Uberlandia). Antecipadamente, muito obrigado.

ANTONIO CARLOS CANUTO - AGRO100 | 24/07/2010 11:18

SOU ENG. AGRONOMO E GERENTE DA LOJA DE SAO JORGE DO IVAI DA AGRO100 E PRECISO SABER COMO CONSEGUIR PRECO PARA CLIENTES DA LOJA DO MILHETO ADR500 SUPER MASSA.

PEDRO BONINI NETO - FAZENDA CAPIM MELADO | 16/04/2010 10:48

ONDE POSSO ENCONTRAR PARA COMPRA O PRODUTO SUPER MASSA.AGUARDO RESPOSTA, SOU DE MARINGA PR, OBRIGADO ATE LOGO! PEDRO 44-99117979


Copyright InteRural. Todos os direitos reservados. Serviços: Assine a Revista | Fale Conosco | Anuncie aqui